domingo, 22 de abril de 2018

A VIDA CONTINUA DEPOIS DA MORTE






Finalizou Abraão o seu diálogo com a alma de Lázaro no Mundo espiritual: Se não houvem Moisés e os Profetas tampouco  acreditarão que algum dos mortos ressuscitem, Lucas 16. 31 Parábola de Jesus sobre o Rico e Lázaro que se reencontram depois da morte do corpo.
A incredulidade é um impulso negativo que obscurece a razão e endurece o coração, e que causa bloqueios ao desenvolvimento da fé divina.
Há vários séculos antes do Cristo que o ensinos de Moisés e dos Profetas estavam sendo repassados às gerações hebraicas, e os irmãos do Rico eram também descendentes desse povo que deu origem às religiões abraâmicas.
Mas, que não estavam dando o valor devido aos postulados dos missionários da espiritualidade, consultando, estudando, meditando nesses conceitos e buscando vivenciá-los no cotidiano de suas existências individuais; e como é que iam dar ouvidos a um comunicação espiritual de alguém já considerado morto pelo tempo dos homens?
E lhes alertando assim quanto às consequências de punição na vida além, quando não se vive inteirado no bem aqui na Terra.
O aluno para chegar na faculdade tem que primeiramente cursar o primário... E tal qual a existência material assim ocorre na vida espiritual, pois somos todos alunos elaborando um aprendizado na existência material com finalidades de alcançar a felicidade celeste;
e os dez mandamentos divinos recebidos por Moisés contem a iniciação primária da vida espiritual: amor a Deus, amor ao próximo, respeito, justiça e fraternidade; os Profetas são seguimentos desses ensinamentos. E Jesus na sua boa nova de paz e amor que revela a espiritualidade celeste é a condensação  maior desses ensinamentos.
E todos esses ensinamentos se resumem na lei de fraternidade universal de amor a Deus sobre todas as coisas, assim também como ao próximo como a si mesmo, consultar Mateus 22. 36 a 40
Veja bem: Jesus falou que não deixaria os seus seguidores órfãos de esclarecimentos e prometeu-lhes que sempre estaria conosco e presente nas provações por meio do Espírito de verdade, o Consolador.
E a obra universal do Senhor somos nós mesmos que a realizamos nessa interação do seu reino através dos tempos tanto na Terra, quanto no Além na vida espiritual celeste, conforme Mateus 9. 38; por isso é que Abraão (em espírito) era quem executava a coordenação desses trabalhos espirituais naquela dimensão paradisíaca chamada de "Seio de Abraão".
Ninguém que atribua na fé cristã que após a morte física do corpo carnal a vida cessará a sua atividade evolutiva, desconstruindo assim o ensinamento de Jesus: "Deus não é Deus dos mortos; e sim dos vivos da Terra, quanto do Além" - Lucas 20. 38
Pois Jesus está sempre presente, e com o Senhor são chegados os novos tempos em que os mortos ouvirão a sua voz, e os que a ouvirem ressurgirão para a continuação da vida infinita, vide João 5. 25
Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito

sábado, 14 de abril de 2018

PRUDÊNCIA NOS MISTÉRIOS ESPIRITUAIS






E questionou o Rico: Não, pai Abraão!... se algum dos mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam - Lucas 16. 30 Parábola de Jesus sobre o Rico e Lázaro  
Títulos, status social, fama, poder constituído, riquezas da existência material NÃO conferem direitos e privilégios na Vida espiritual, depois da morte física do corpo carnal,
No plano celeste a situação do espírito nessa nova existência é fruto conquistado pela vivência pessoal da criatura, que iluminou a sua consciência buscando crescer para a Vida superior.
E o Rico queria que Abraão lhe fizesse concessões a que não fizera nenhum esforço por merecer,  e que permitisse esse intercambio entre os vivos no mundo material e a esfera espiritual dos chamado mortos na concepção humana. 
Na realidade segundo Jesus: "Deus não é Deus de mortos, e sim de vivos, da Terra quanto do além no Mundo espiritual" Lucas 20. 38 
E o Rico fizera esse questionamento porque imaginava que, por ser um fato sobrenatural no pensamento dos homens, os seus irmãos ainda no mundo carnal, dariam mais créditos se ouvissem algum dos mortos ressurgindo para lhes chamar a razão, a ponto de lhes causar sugestões que mudassem seus comportamentos na vida material.
O arrependimento  não surge por manifestação do sobrenatural; e sim pelo burilamento moral, pelo sofrimento que é instrumento de reflexão e melhoramento dos espíritos para a vida celeste.

E era exatamente o que estava acontecendo à alma do Rico no Mundo espiritual: isolamento do meio familiar e daqueles que são felizes em outros planos da vida celeste. 
Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito

domingo, 8 de abril de 2018

AUTO-ILUMINAÇÃO, A BUSCA INTERIOR








Têm Moisés e os Profetas, ouçam-nos * Resposta de Abraão ao Rico que estava atormentado no Hades - o mundo inferior dos mortos, e que desejava um intercâmbio espiritual com os seus familiares que ainda viviam na existência material - Parábola de Jesus, vide Lucas 16. 29 



No Mundo espiritual tem regras, e são muito mais perfeitas que na Terra, pois visam o bem segundo o merecimento de cada um.
Veja bem, o Rico recebera essa resposta de Abraão: têm Moisés e os Profetas, que ouçam os seus ensinos!
Ele, o Rico estava pedindo que fosse permitido que  alguém do Mundo espiritual viesse na casa de seus pais humanos, a fim de advertir os seus cinco irmãos ainda encarnados na existência material, informando-lhes do estado tormentoso no Além que ele estava passando, e prevenindo-os para que os mesmos não sucumbissem no mesmo erros que causam sofrimentos na alma, depois da morte física.

Moisés por inspiração de Deus, no monte Sinai, recebeu os dez mandamentos que orientam a caminhada da criatura na sua trajetória pela existência material, constituindo assim a justiça espiritual, onde constam regras básicas para se viver em harmonia com os objetivos de se alcançar a vida celestial.


Os Profetas são outros tantos missionários de Deus, enviados em vários séculos afim de continuar esse trabalho de orientação espiritual, até os tempos da vinda do Cristo de Deus.
Depois de Moisés seguem os Profetas; e os Profetas descortinam a era do Cristo, que nos trouxe os novos tempos em que os mortos ouvirão a sua voz, e os que a ouvirem viverão para Deus - João 5. 25

Jesus, o Messias celestial, que veio complementar a obra da revelação espiritual, que liberta o homem terrestre e eleva a sua consciência para os objetivos maiores na eternidade de Deus.
Por isso, ninguém pode no futuro alegar desconhecer a luz da verdade..
Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito



quinta-feira, 5 de abril de 2018

SENTIMENTOS DA ALMA ALÉM-TÚMULO






Disse então o Rico a Abraão: rogo-te, ó Pai, que mande Lázaro à casa de meus pais, pois tenho cinco irmãos, para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento - Lucas 16. 27;28 Parábola narrada por Jesus sobre o Rico e Lázaro que se reencontram no Além 
  Grandes revelações da vida imortal após a morte do corpo carnal, Jesus o mestre celestial, expõe aos seus seguidores nesta parábola do Rico e Lázaro, demonstrando com imagens reais e sugestivas que a morte como cessação de vida, é apenas o corpo físico que sofre a interrupção; porque o ser espiritual, ou alma, tem plena consciência, percepção, lembranças, sentimentos e noções de espaço e tempo na existência Além.
Vejamos: O rico estava no Hades, o mundo inferior dos mortos, e tinha compreensão que estava em tormento; e despertando o entendimento para a realidade da vida imortal no Mundo espiritual reconhece o seu conterrâneo Lázaro que falecera quase na mesma época, assim também como Abraão o patriarca espiritual de seu povo que vivera na Terra há 14 séculos passados, e lhes pede uma atenção toda especial para o seu sofrimento, e que Lázaro suavizasse a sua situação angustiosa. E como esse pedido não lhe foi concedido,

lembra-se então de seus cinco irmãos que ainda viviam na Terra, e tocado por um sentimento de altruísmo pede interferência de Abraão que permita a Lázaro vir em espírito até a casa daqueles que foram seus pais na existência humana, afim de alertar aos seus irmãos ainda encarnados na vida material, para que os mesmos não viessem, no futuro, passar por essa mesma situação de tormento no além, por isso mesmo eles precisavam ser advertidos. 
Na vida espiritual que se dimensiona para o infinito celeste as conquistas pessoais são prêmios concedidos pelo esforço próprio de crescer interiormente, de auto-iluminar-se no bem e na verdade de Deus, por isso Jesus advertiu em outro ensinamento: muitos são chamados e poucos escolhidos - Mateus 22. 14
Assim muitos são chamados à evolução da existência material na Terra, mundo de provações nos mais variáveis níveis de aprendizagens e despertamento espiritual; e poucos estão preparados para adentrarem em novos graus de felicidade os portais da vida celestial superior no seio infinito de Deus.  
Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito





sexta-feira, 30 de março de 2018

A VIDA ESPIRITUAL SÃO PLANOS MENTAIS NAS MAIS DIVERSAS ORDENS E GRAUS DE FELICIDADE




E, além disso está posto um grande abismo entre nós e vós, de maneira que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, e nem tampouco os daí passar para cá, vide Lucas 16. 26 * Resposta de Abraão, líder espiritual do povo hebreu, à alma do Rico recém falecido na existência material. Narração  da parábola de Jesus sobre o Rico e Lázaro que se encontram na vida Além 
A vida universal extrafísica no Mundo dos espíritos imortais é formada de planos mentais.
Veja bem, naquele momento estava havendo uma comunicação entre os habitantes da vida espiritual, os quais viviam em planos mentais de vibrações diferentes, pois Abraão e Lázaro viviam no seio dos espíritos felizes,
enquanto isso o Rico estava sofrendo tormentos no Hades, que segundo a ideologia dos gregos e que Jesus emprega na sua parábola, era descrição do mundo inferior dos mortos, porque estão sem luz no âmago de suas almas, e que padecem as consequências de seus atos nocivos praticados na existência humana.
Essa parábola fértil em ensinamentos imortais, e que se assemelha a uma narração espírita do Mundo dos espíritos, e que Jesus moldou a fim de que seus seguidores refletissem e compreendessem os mistérios da vida espiritual celeste.

Ninguém alcança a paz celestial pelo menor esforço e protecionismo de alguém;
as bem-aventuranças íntimas no ser espiritual são conquistas individuais intransferíveis, e que são edificadas  na consciência com boa vontade ao longo das experiências humanas, afim de que cada um deva à sua própria consciência a felicidade imorredoura, ou o infortúnio de tormentos causticantes.
A cada um segundo suas próprias obras, cientificou Jesus em Mateus 16. 27

Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito



quinta-feira, 29 de março de 2018

SITUAÇÃO DA ALMA ALÉM TÚMULO





No além, disse o espírito de Abraão ao Rico: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua existência material, e Lázaro somente males, e agora ele é consolado, e tu atormentado - Lucas 16. 25 Parábola do Rico e Lázaro 
 "de Deus é a Terra e a sua plenitude, o Mundo e aqueles que nele habitam" Salmo 24. 1
 Tudo pertence a Deus, e nem o próprio corpo carnal é patrimônio exclusivo para sempre ao ser espiritual que no corpo está encarnado, pois o mesmo lhe foi dado pelo Criador para sua consciência evoluir no solo do planeta, e que um dia terá de devolvê-lo à Natureza, sendo sepultado no seio da terra, para desintegração anatômica de todos os seus órgãos.
E somente a Alma despida de títulos e riquezas materiais adentra os portais do Mundo espiritual  invisível, na eternidade de Deus.
A existência na Terra são provações que o espírito se submete para melhorar o seu grau espiritual para a Vida celeste. E, após o término da luta carnal estar em paz consigo mesmo, na intimidade de sua consciência, pra não acontecer infelicidades na misteriosa travessia para a vida além, e o espírito penitente ter que ficar excluído do meio dos bons e que são felizes no Mundo espiritual, e essa causa tem efeito em resíduos mentais negativos que se refletem no seu corpo espiritual, que compõe as suas vestes no Mundo dos espíritos imortais.
Caso a alma tiver que sofrer expiações no Mundo espiritual, motivadas pela conduta moral improcedente decorrida na existência material, isso então se torna uma situação que exige correção para o próprio espírito que terá de passar sozinho, afastado do paraíso do bons, afim de se reabilitar interiormente nas leis espirituais que regem a vida dos seres inteligentes.
O Rico estava sofrendo tormentos conscienciais no Além túmulo, não pelo fato de ter possuído riquezas temporais na existência material; e sim por não ter cumprido a sua missão em trabalhos benéficos à sociedade, e aplicou o seu tempo fazendo mau uso dos bens físicos e psicológicos que Deus lhe permitiu desfrutar no mundo dos homens.
           A riqueza não é um mal, e sim uma forma patrimonial de incentivo ao progresso material. O mal consiste em fazer má utilidade das riquezas. 
A alma humana é punida no Mundo espiritual por fazer o mal, e também por não fazer o bem que resulta em mal - Allan Kardec, conforme O Livro dos Espíritos, questões 629 a 646 
E, segundo a palavra de Jesus: os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação, João 5. 29 Isto é: ressurgem em espírito no espaço e tempo da evolução para serem sentenciados a expiarem suas faltas. 
Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do Espírito